Setembro Amarelo: todos pela vida

Oficialmente o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, porém a campanha ocorre durante todo o mês visando promover o debate e a conscientização de que todos são extremamente importantes.

A campanha do Setembro Amarelo tem o objetivo de prevenir e reduzir os números de suicídio no país. O maior desafio da campanha é conscientizar a sociedade em geral que problemas como a depressão, que estão diretamente associados ao suicídio, é uma doença e deve ser tratada como tal e não como “frescura ou falta do que fazer”.

Durante muito tempo o suicídio foi considerado um grande pecado, isso devido a crenças religiosas, morais ou culturais. Isso pode estar associado com a dificuldade que as pessoas sentem em falar abertamente sobre o assunto, o medo ou vergonha de serem julgados.

De acordo com dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em setembro de 2019, a cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo. Mais de 800 mil pessoas acabam com a própria vida ao ano. No Brasil, foram registrados 13.467 casos de suicídio, dos quais 10.203 foram cometidos por homens.

Ainda de acordo com o relatório da OMS, as principais formas de suicídio foram através de enforcamento, seguida por envenenamento e o uso de armas de fogo. A OMS, acredita que restringir o acesso destes meios a possíveis suicidas é uma das possibilidades para reduzir o número de casos.

A organização também recomendou que familiares e amigos fiquem atentos para identificar possíveis sinais de um ato de suicídio e comecem imediatamente o acompanhamento da vítima em situação de risco. Além disso, o documento ressalta a importância da criação de programas que ofereçam ajuda a pessoas que passam por problemas na vida.

Estar presente, demonstrar interesse e carinho aos familiares é uma das maneiras de identificar e prevenir problemas de depressão. Sinais como mudanças de comportamento, reclusão e até alterações no sono e apetite, podem ser sinais de depressão. Participar do processo de cura do familiar também é extremamente importante, além é claro de contar com a ajuda de especialistas da área da saúde mental.

 

Precisa de ajuda? 

Atendimento médico e psicológico são essenciais para a recuperação. Também existem alguns locais que oferecem apoio voluntário e gratuito para quem precisa de ajuda. O Centro de Valorização da Vida (CVV) – www.cvv.org.br – é um dos grupos que oferece ajuda para pessoas que querem e precisam conversar. Essa conversa é totalmente anônima e sigilosa. Você pode ter atendimento através de um chat, e mail, telefonema ou ainda conversar pessoalmente com um voluntário do CVV. Não deixe de conversar com alguém sobre seus problemas e sentimentos, procure ajuda. Você vale muito! E com toda a certeza existem diversas pessoas que te amam e apreciam demais a tua presença.