Queimaduras: prevenir é a melhor saída

As queimaduras são lesões causadas aos tecidos orgânicos por agentes externos com destruição do revestimento epitelial. Podem ser térmica, elétrica, química ou por radiação, esta um pouco mais rara.

As químicas são produzidas por ácidos ou bases e são capazes de causar, além do dano cutâneo, alterações sistêmicas diversas.

Por sua vez, as vítimas de queimaduras elétricas são geralmente muito graves.

Já as térmicas são as mais frequentes, tendo o álcool como agente etiológico mais comum nos adultos, seguido por líquidos quentes como água e óleo. Em crianças, a faixa etária mais acometida é entre 2 e 5 anos, tendo a escaldadura por líquidos quentes, como a água fervente, a principal causa. Desta forma, é importante a atenção dos pais com crianças nessa idade, pela sua curiosidade característica, principalmente durante a circulação na área da cozinha, para manter os cabos de panelas voltados para o centro do fogão, assim como os líquidos quentes de preferência em bocas mais internas.   Acidentes domésticos ocorrem em mais da metade dos casos de queimaduras, sendo 80% deles na cozinha.

Idosos também compreendem um grupo de risco alto para queimaduras devido a sua menor capacidade de reação e as limitações físicas peculiares a sua idade avançada.

A classificação das queimaduras é realizada pela profundidade do dano a pele sendo:

Primeiro grau: afeta a camada mais superficial, chamada epiderme, sem formar bolhas. A reepitelização ocorre em 4-6 dias. É a queimadura solar, por exemplo.

Segundo grau: um pouco mais profunda, acometendo a derme, com o surgimento das flictenas ou bolhas. A sua recuperação é entre 7-21 dias, podendo deixar cicatriz permanente ou não.

Terceiro grau: aquela queimadura de espessura total, afetando a epiderme, derme e estruturas profundas. É indolor. Não há reepitelização, necessitando de enxertos de pele. A cicatriz é permanente.

A gravidade e o prognóstico da queimadura podem variar de acordo com o agente etiológico envolvido, a profundidade e extensão da superfície corporal acometida, sua localização, idade do paciente, doenças pré-existentes e lesões associadas ao trauma.

Um Estudo realizado no maior Centro de Queimados da América Latina, em Belo Horizonte, comprovou que 62,5% dos acometidos são do sexo masculino, com média de idade de 29 anos.   É exatamente por afetar essa parcela ativa da população, que as queimaduras geram substanciais problemas econômicos e sociais para a saúde pública, pois é aí que se concentra a maior parte da força produtiva e da mão de obra.

Com a proximidade dos meses de inverno e das festa juninas, o nosso contato com as fontes de calor aumenta e com isso também os riscos de queimaduras. Dessa forma, a importância da prevenção do trauma térmico decorre não só da frequência com que ocorrem, mas principalmente de sua capacidade de provocar sequelas funcionais, estéticas e psicológicas permanentes.

Dr. Júnior Grandi