Gluteoplastia: a cirurgia plástica do bumbum

Cada vez mais procurada nos grandes centros, a Gluteoplastia é o termo médico utilizado para descrever o procedimento cirúrgico que visa aumentar ou melhor definer o formato dos glúteos. Tem sua mais precisa indicação para pacientes adultos, saudáveis, próximos ao peso ideal para seu biotipo, com pequeno volume das nádegas e pouca flacidez local.

O aumento definitivo de volume do bumbum pode ser atingido basicamente através do uso de enxerto de gordura do próprio paciente ou através do implante de próteses de silicone.  Materiais de preenchimento definitivos como “metacrilato” apresentam complicações sérias associadas ao procedimento, e não devem ser utilizados com finalidades estéticas nessa região. Outros preenchedores sintéticos e absorvíveis podem ser utilizados com bons resultados, porém transitórios.

A gordura utilizada para enxertia é geralmente retirada da região dos flancos posteriores, logo acima dos glúteos, em um procedimento conjunto de lipoaspiração. Essa gordura então é preparada e posteriormente enxertada no subcutâneo da região do bumbum, podendo proporcinar aumento discreto do volume, corrigir depressões localizadas e irregularidades, com aprimoramento do contorno dessas áreas.

Aumentos maiores do bumbum somente são obtidos através do implante de próteses de silicone.   A via de acesso utilizada é uma incisão posicionada no sulco entre as nádegas, com 5 a 7 cm de extensão. O implante é então inserido no meio do músculo glúteo maior, o que proporciona resultados bem naturais. Essa técnica é realizada com prótese de superficie lisa, que pode ser redonda ou oval. As próteses redondas projetam mais o bumbum, enquanto as ovais são mais usadas para modelar e preencher. No pós-operatório, de uma maneira geral, a paciente será instruída a evitar esforços físicos ou carregar peso, evitando movimentos que possam forçar a abertura da ferida entre os glúteos , como agachar, por exemplo. O retorno às atividades normais será gradual e sob orientação do cirurgião.

Associação de técnicas cirúrgicas, como lipoaspiração dos flancos, seguida do implante de próteses de silicone nos glúteos e finalizando com o enxerto da gordura obtida no seu subcutâneo, proporciona uma melhora global da silhueta, resultando em um contorno bastante agradável e harmônico, com uma cintura mais fina e um glúteo maior e mais definido.

O método mais adequado para cada caso será definido juntamente com o cirurgião durante a consulta. A lipoaspiração de outras áreas do corpo também pode ser considerada dependendo de cada caso.

Por outro lado, a gluteoplastia não substitui um programa de exercícios físicos que, por sua vez, revelam-se muito importantes, após a liberação médica, para manutenção e até melhora dos resultados obtidos.      Da mesma forma, é necessário ressaltar que esse tipo de cirurgia não visa corrigir estrias ou celulites, assim como não tem o objetivo de corrigir o sulco glúteo entre as nádegas e as coxas. Importante lembrar também que uma vez colocados os implantes nos glúteos, fica contraindicada a injeção intramuscular nessa região.

A busca por esse “perfil da mulher brasileira” deve ser consciente e responsável, sempre optando por profissionais habilitados e com a formação necessária para o tratamento proposto, o que revela-se fundamental para melhor satisfazer as expectativas da paciente. Dessa forma, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica fornece informações sobre seus membros através do site: www.cirurgiaplastica.org.br

Dr. Júnior Grandi