Fisioterapia

fisioterapia

 

Fisioterapia é a ciência que estuda, diagnostica, previne e recupera pacientes com distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano. Trabalha com doenças geradas por alterações genéticas, traumas ou enfermidades adquiridas.

O objetivo desta área é preservar, manter, desenvolver ou restaurar (reabilitação) a integridade de órgãos, sistemas ou funções. Utiliza-se de conhecimento e recursos próprios como parte do processo terapêutico nas condições psico-físico-social para promover melhoria de qualidade de vida.

Fisioterapia Traumato Ortopédica

Tem por objetivo, restabelecer a função do sistema músculo-esquelético (força, amplitude de movimento, gesto funcional e esportivo, equilíbrio, coordenação e propriocepção). A fisioterapia traumato-ortopédica se destina a pacientes desde crianças até idosos.

Indicação:

  • Fraturas;
  • Entorses;
  • Tendinites;
  • Artrite;
  • Artrose;
  • Bursites;
  • Pré e Pós Operatório;
  • Disfunção em Ombro, Cotovelo, Punho, Mão, Quadril, Joelho, Tornozelo, Pé e coluna;

Fisioterapia Neurofuncional

É uma das áreas de atuação da fisioterapia que objetiva o estudo, diagnóstico e tratamento de distúrbios neurológicos que envolvem as funções neuromotoras, atuando nas sequelas resultantes de danos ao Sistema Nervoso.Esses danos acometem crianças acima de dois anos e adultos com diferentes complexidades e distribuições corporais.

Indicação:

  • Acidente Vascular Cerebral (AVC)
  • Demência
  • Derrame Cerebral
  • Encefalocele
  • Esclerose Lateral Amiotrófica
  • Fibromialgia
  • Labirintite
  • Mal de Alzheimer
  • Mal de Parkinson
  • Paralisia Facial
  • Polineuropatia
  • Quadriplegia
  • Síndrome de Asperger ( Autismo)

Fisioterapia Geriátrica

O objetivo da fisioterapia geriátrica é a prevenção e a manutenção das funcionalidades do idoso, uilizando-se de técnicas como exercícios ativos, globais e que treinem o equilíbrio desses pacientes.

São vários os benefícios proporcionados ao paciente:

  • Envelhecimento com qualidade de vida;
  • A melhora notável em sua capacidade de locomoção e equilíbrio, bem como a coordenação dessas funções;
  • O aumento da força muscular e das funções da memória do idoso.
  • A independência e o conforto na realização de atividades no seu dia a dia.